Instituto Butantã terá vacina contra a coqueluche para imunizar grávidas

O Instituto Butantã vai iniciar em breve a produção de uma vacina contra a coqueluche para proteger gestantes. O componente será desenvolvido graças a um termo firmado com a GlaxoSmithKline (GSK), que será responsável por transferir a tecnologia para o Butantã. A estimativa é de que aproximadamente 7 milhões de brasileiras possam ser imunizadas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) já em 2014.


vacina-gestantes-butanta

Como será a produção da vacina no Instituto Butantã?

Atualmente o Instituto Butantan já mantém ativa uma produção de vacinas contra difteria e tétano. Com a transferência dos procedimentos do laboratório GSK, também será possível desenvolver um componente acelular contra a coqueluche, formando assim uma vacina capaz de proteger as grávidas contra as três doenças.

Quais são os benefícios da vacina na gestação?

A aplicação da vacina durante a gestação protege o bebê e permite reduzir o registro de óbitos por coqueluche em crianças com menos de seis meses de idade. Além disso, a vacinação ajuda tanto a diminuir a transmissão da doença para o lactente quanto a fornecer uma proteção indireta nos primeiros meses de vida. Nesse período é necessário redobrar os cuidados, já que o bebê ainda não terá completado o esquema de três doses da vacina recomendado pelos órgãos públicos de saúde.

No calendário atual do SUS, a vacina destinada a proteger a criança é a que possui o componente pertussis de células inteiras. Ela já é produzida pelo Butantã e oferecida para quem tem até seis anos de idade. A primeira dose deve ser aplicada aos dois anos, a segunda aos quatro e a terceira aos seis meses de idade.